05/05/2009

Sistema EndoVac

Posted in Irrigação às 15:16 por endodontiafob

 

A irrigação é o ato pelo qual procura-se eliminar todo o material contido na cavidade pulpar, tais como polpa viva ou necrosada, resíduos dentinários ou materiais obturadores destacados pela instrumentação, bem com microrganismos. Com a irrigação se consegue grande parte da degermação e lubrificação, auxiliando na instrumentação. A irrigação se inicia durante a abertura coronária e se estende durante todo o processo de instrumentação02,05.

b92

Fig. 01 - Detritos presente na obturação

 Independentemente do estado de decomposição de um canal radicular, um resultado bem sucedido exige que todos os conteúdos biológicos, incluindo o tecido pulpar, microbiota e seus derivados, e detritos dentinários derivados da instrumentação, devem ser fisicamente ou quimicamente removidos do canal radicular. Além disso, ao não conseguir completar a limpeza e desinfecção do canal radicular exclui a possibilidade de obter uma completa obturação do sistema de canais na interface parede-cimento, e independentemente do tipo de obturação método utilizado, isto pode comprometer futuro sucesso02,05,06,11,12.

O hipoclorito de sódio tem sido amplamente utilizado como solução irrigadora na endodontia por suas importantes propriedades. É uma solução fortemente alcalina que possui duas características importantes, a habilidade de dissolução de tecidos vivos e a sua propriedade germicida, relacionada com a formação do ácido hipocloroso pela liberação de cloro ativo. A ação antibacteriana desse ácido ocorre por oxidação de enzimas bacterianas que leva a desorganização de seu metabolismo. O NaOCl é encontrado em soluções de 0,5 a 6%,  e atua dissolvendo colágeno por cloretação dos aminoácidos e por saponificação dos lipídeos, sendo que o seu poder dissolvente é diretamente proporcional com a sua concentração e mais efetivo a temperatura de 37oC. Além disso tem ação necrolítica, antitóxica, desodorizante e neutralizante. Apesar das propriedades benéficas, as soluções de hipoclorito de sódio tem efeito tóxico sobre os tecidos vitais, provocando hemólise, ulceração da pele e necrose, injuria sobre células endoteliais, fibroblastos e inibição da migração de neutrófilos. Há sempre uma preocupação quanto um acidente relacionado com o extravasamento dessa solução, pelo dano que causa aos tecidos perirradiculares. Acidentes e complicações que podem ocorrer são devido ao excesso de pressão apical, injeção de líquido no tecido periapical, enfisema, acúmulo de detritos e descoloração da roupa do paciente02,05.

 Estudos passados 09,11 tem demonstrado que os tradicionais meios de irrigação promovem uma boa limpeza dos terços cervical e médio, porém não são tão efetivos no terço apical. Pois para serem efetivas as soluções irrigadoras devem chegar o máximo possível do comprimento de trabalho. De acordo com Walton e Torabinejad, talvez o mais importante seja o sistema de irrigação do que a solução irrigadora por si só. Assim para que o hiploclorito de sódio possa desempenhar sua função é necessário que ele seja levado por toda a extensão de trabalho, sendo desejado um eficaz sistema de irrigação. Esse sistema deverá distribuir de forma adequada tanto em fluxo, quanto em volume a solução irrigadora no comprimento de trabalho para ser eficaz na limpeza do sistema de canais, sem forçar a solução para tecidos periradiculares 07.

aq1

Fig. 02 - Pressão apical positiva e negativa

Tradicionalmente os meios de irrigação seu valem de pressão apical positiva. Mas já existem dispositivos que aplicam uma irrigação por meio de pressão apical negativa. A pressão apical negativa só ocorre se a cânula é usada para aspirar os irrigantes na terminação apical do canal radicular. Se a cânula é utilizada para levar os irrigantes para o sistema de canal radicular, é um dispositivo de pressão positiva01,03,04,07,08. Em seu estudo Fukumoto04 usou hipoclorito de sódio 6%, irrigando em um grupo teste com pressão positiva e os restantes utilizando pressão apical negativa. Concluiu que nos canais em que foram utilizados a técnica de aspiração (pressão apical negativa) foi mais eficaz na remoção da “smear layer” na região apical, sem extrusão do irrigante.

asaq1

Fig. 03 - Kit EndoVac

O sistema EndoVac (Discus Dental, Culver City, Califórnia) é um novo sistema de irrigação. Este sistema é composto, no kit inicial, por uma mangueira que conecta os componentes ao sugador a vácuo, uma peça de mão para acoplar a macro cânula, uma peça de dedo para acoplar a micro cânula. Seringas de 20cc para irrigar com hipoclorito, seringas de 3cc para levar o EDTA, além de macro e micro cânulas para uso individual. Assim o EndoVac foi concebido para superar os perigos do extravasamento da substância irrigadora, criando uma pressão apical negativa no comprimento de trabalho. A ponta de irrigação e a uma seringa são anexada a um tubo de aspiração que está conectado ao sugador à vácuo da cadeira odontológica. Um pequeno tubo conecta tanto uma macro ou micro cânula à sucção. A macrocânula é de plástico com a extremidade aberta de calibre 55 (ISO) e uma conicidade 02. O componente essencial do sistema EndoVac é uma micro cânula com um diâmetro de 0,32 mm, com 12 perfurações (4 fileiras de 3) radialmente dispostos nos últimos 0,7 mm. Essa aberturas tem 2 funções: para puxar as soluções endodônticas, abundantemente e diretamente para o comprimento de trabalho, e para servir como um micro sistema de filtração para evitar entupimento do lúmen (diâmetro interno) da cânula07,09. A microcânula pode ser usada no comprimento de trabalho em um canal alargado num diâmetro 35 ou maior, gerando um fluxo constante de solução irrigadora através de todo o canal radicular, permitindo a solução irrigadora limpar e desinfetar os últimos milímetros do canal sem extrusão03,09,10.

a21

Fig. 04 - Micro cânula

O efeito de sucção apical, puxando (não empurrando) as soluções endodônticas para baixo e ao longo das paredes do canal radicular, gera um efeito cascata rápido e turbulento, assim os irrigantes são forçados a fluir entre as paredes do canal e da superfície externa do micro cânula. Esta ação cria uma turbulência vigorosa. Ao longo de todo este processo, a pressão de vácuo puxa as micro partículas para fora do sistema de canal radicular01,07,08. A técnica da pressão apical negativa tem se mostrado efetiva para evitar os efeitos secundários adversos relacionados com a extrusão apical de soluções irrigadoras. Mesmo em dentes com ápices abertos, a irrigação com pressão negativa é uma forma de reduzir bastante a quantidade de solução irrigadora extruídas.

Assim a técnica de irrigação recomendada por Schoeffel 08,09 para esse sistema é, após a montagem do EndoVac no equipo segue-se três passos;
Passo 1: Irrigação da câmara pulpar com a seringa, cuja a cânula é anexada ao sugador , essa configuração supera vários problemas clínicos. Em primeiro lugar, evita excesso de hipoclorito de sódio e o derramando na boca do paciente, independentemente do arco. Em segundo lugar, fornece freqüente e abundante fluxo de irrigante, mantendo o efeito desejado e um constante nível de irrigante. Posicione a seringa, tal que o metal da cânula fique colocado apenas no interior do acesso abertura do dente. A irrigação é feita durante o preparo coronal e depois de cada instrumento para remover detritos decorrente da instrumentação.

Passo 2: Com a instrumentação concluída, utilize a macro cânula anexada a peça de mão em titânio para remover detritos grosseiros. Nesta etapa, a macro cânula e a seringa são utilizadas ao mesmo tempo. É útil ter uma auxiliar levando o irrigador, enquanto o odontólogo trabalha com a macro cânula. Passo 3: Finalmente, usando a micro cânula anexada a uma peca de dedo de titânio,é colocada no comprimento de trabalho.

Deve realizar um total de 4 ciclos, sendo o 1o com NaOCl 6%, o 2o com EDTA 17%, o 3o novamente com NaOCl 6%, e o 4o com soro fisiológico. Cada ciclo deste é composto do seguinte modo:

Levar a micro cânula ao comprimento de trabalho e manter em posição por 6 segundos. Recuar 2mm e manter por mais 6 segundos. Retornar ao comprimento de trabalho e repetir o procedimento, mais uma vez. Manter o canal preenchido com solução irrigadora até novo ciclo. Assim para iniciar um novo ciclo, se for um dente uniradicular deve aguardar 60 segundos para dar tempo para a solução agir. Porém ser for biradicular, aguarda-se 30 segundos, mas se for triradicular ou mais, pode iniciar imediatamente após o término do anterior.

Fig. 05 - Cânula convencional e micro cânula EndoVac

Fig. 05 - Cânula convencional e micro cânula EndoVac

Estudos apontam que o EndoVac é um eficiente e seguro sistema de irrigação, pois, por meio da pressão apical negativa, supera os perigos do extravasamento da substância irrigadora.  O componente essencial desse sistema é uma micro cânula com um diâmetro de 0,32 mm, com 12 perfurações radialmente dispostos nos últimos 0,7 mm. Sugando as soluções endodônticas, abundantemente e diretamente para o comprimento de trabalho, permitindo uma boa limpeza e desinfecção do conduto utilizando soluções irrigadoras concentradas com segurança01,03,07,08,09.

 

 

 Referências:

 01 – Bradford CE, Eleazer PD, Downs KE, Scheetz JP. Apical Pressures Developed by Needles for Canal Irrigation. J Endod 2002;28:333-5.

 02 – Bramante CM, Ramos CAS. Irrigação e medicação intracanal. In: Bramante CM, Ramos CAS. Endodontia fundamentos biológicos e clínicos. 2 ed. São Paulo: Ed. Santos, 2001. Cap.9. p.209-24.

 03 – Desai P, Himel V. Comparative Safety of Various Intracanal Irrigation Systems. J Endod 2009;35:545-9.

 04 – Fukumoto Y, Kikuchi I, Yoshioka T, Kobayashi C, Suda H. An ex vivo evaluation of a new root canal irrigation technique with intracanal aspiration. Int Endo J 2006;39:93-9.

 05 – Garcia RB. Acidentes e complicações na irrigação. In:Bramante CM, Berbert A, Bernardineli N, Moraes IG, Garcia RB. Acidentes e complicações no tratamento endodôntico. 2 ed. São Paulo: Ed. Santos, 2004. Cap. 5. p. 107-12.

 06 – Hockett JL, Dommisch JK,  Johnson JD,  Cohenca N. Antimicrobial Efficacy of Two Irrigation Techniques in Tapered and Nontapered Canal Preparations: An In Vitro Study. J Endod 2008;34:1374-7.

 07 – Nielsen BA, Baumgartner JC. Comparison of the EndoVac System to Needle Irrigation of Root Canals. J Endod 2007;33:611– 5.

 08 – Schoeffel GJ. The EndoVac method of endodontic irrigation, safety first. Dent today 2007; 26:92-6.

09 – Schoeffel GJ. The EndoVac method of endodontic irrigation, Part 3: System components and their interaction. Dent today 2008; 27:106,108-11.

 10 – Walters MJ, Baumgartner JC, Marshall JG. Efficacy of irrigation with rotary instrumentation. J Endod 2002;28:837-9.

 11 – Wu MK, Wesselink PR. Efficacy of three techniques in cleaning the apical portion of curved root canals.Oral Surg Oral Med Oral Pathol 1995;79:492-6.

 12 – Usman N, Baumgartner JC, Marshall JG. Influence of instrument size on root canal debridement. J Endod 2004;30:110-2.

12 Comentários »

  1. Olga Schoröeder said,

    Mas será que não poderia comprar somente a microcânula, para fazer a irrigação?

    • endodontiafob said,

      Prezada colega, primeiramente há que se lembrar que tanto a macrocânula quanto a microcânula são responsáveis pela aspiração, realizando uma pressão apical negativa, ou seja, a solução irrigadora é levada a câmara pulpar e a microcânula aspira na região apical. E em relação a sua pergunta o fabricante vende kit’s de reposição com 30 microcânulas e 30 macrocânulas, que são de uso individual. Porém para usá-las é necessário adquirir o kit inicial, para adaptar as cânulas nos adaptadores.

  2. Aroldo Madureira Filho said,

    Mas em casos de canais muito atrésicos, será tão efetivo assim mesmo?

    • endodontiafob said,

      Bem esse de fato é uma desvantagem desse sistema, já que a microcânula tem um diâmetro apical equivalente a uma lima 23 assim o ideal é realizar um batente apical com uma lima 30, o que nem sempre é possível em todos os casos.

  3. priscila said,

    boa tarde,
    Gostaria de usar parte deste arquivo em um trabalho de conlusao de curso e nao sei como pois o artigo nao diz o nome do autor. Como posso fazer::
    obrigada

    • endodontiafob said,

      Olá Priscila, esse trabalho, foi uma revisão da literatura, realizada pelo mestrando Bruno C. Cavenago, compondo um seminário apresentado na disciplina de endodontia. Porém ainda não foi apresentado em nenhum encontro científico e tampouco publicado em revista, mas você pode realizar uma citação da página.

  4. Flávio Furtado de Farias said,

    Minha tese de doutorado, pela FO-UFMG, foi sobre tecnologia não instrumental (NIT) para o tratamento endodôntico. Inicialmente, tentei reproduzir os trabalhos de Adrian Lussi e colaboradores (1990’s), mas como não foi possível, o resultado foi que desenvolvi uma técnica própria de aplicar NIT, e um aparelho patenteado pela UFMG.

    Desenvolvi um aparelho muito simples que não requer sequer a instrumentação prévia ou ulterior do sistema de canais radiculares (SCR).

    A técnica dispensa todas as etapas instrumentais convencionais da endodontia – localização de entrada de canais, odontometria, negociação de canais, modelagem de canais. Em suma, não é utilizada qualquer instrumentação nos canais radiculares.

    As cânulas de irrigação e esvaziamento (sucção) são disposta na câmara pulpar (sem maior preocupação) e o sistema é vedado para dar início ao tratamento, que consiste em ciclos de esvaziamento e irrigação com hipoclorito de sódio, EDTA, hipoclorito de sódio, água e álcool para desidratar. Em seguida, utiliza-se gutapercha (em pó) misturada a cimento endodôntico. O SCR é esvaziado e o material obturador é dispensado no interior do SCR.

    Enfim, demonstrei que é possível limpar e degermar sem instrumentar o SCR. E também que é possível obturá-lo sem modelá-lo.

    Farias, Flávio Furtado. Técnica Hidrodinâmica de Tratamento de Canais Radiculares: Desenvolvimento e Avaliação in vitro e ex vivo. Belo Horizonte: UFMG, 2003. 146p. Tese de doutorado.

    A orientação do doutorado foi da profa. Maria Cássia Ferreira de Aguiar.

    Mantenho uma comunidade no ORKUT para discutir aspectos relativos a NIT. O nome da comunidade é ENDOCICLADOR.

  5. Flávio Furtado de Farias said,

    professor3f@gmail.com

  6. mateus hartmann said,

    olá gostaria de saber se voces sabem informar o valor do kit inicial (mangueiras, etc) do endo vac e o valor das reposições. obrigado

    • endodontiafob said,

      Olá Mateus, infelizmente não sabemos precisar o valor deste produto, aqui no Brasil, porém lá nos Estados Unidos não é algo barato para nossos padrões.

  7. Daniela de Sousa Barros Teotonio said,

    Gostaria de usar parte deste arquivo em um trabalho de conlusao de curso e nao sei como pois o artigo nao diz o nome do autor. Como posso fazer::
    obrigada!

    • endodontiafob said,

      Olá Daniela, esse trabalho, foi uma revisão da literatura, realizada pelo mestrando Bruno C. Cavenago, compondo um seminário apresentado na disciplina de endodontia. Porém ainda será apresentado em um encontro científico, mas você pode realizar uma citação da página.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: