20/05/2009

Sistema Microseal

Posted in Obturação às 18:44 por endodontiafob

Foi introduzido no mercado em 1996. Consiste em uma técnica de obturação termomecânica que utiliza um cone principal compactado lateralmente e guta percha alfa para obturar os canais radiculares.

A guta-percha alfa de ultra-baixa-fusão esta contida em um cartucho e é acoplada a uma seringa para ser termoplastificada em um aquecedor. É então levada e compactada no interior do canal radicular por um compactador. Apresenta consistência pegajosa e excelente fluidez. Pelo fato da guta-percha ser termoplastificada anteriormente, 5000 rpm são suficientes para a rotação do micromotor. Uma das conseqüências das técnicas de termoplastificação da guta-percha é o aumento da temperatura intra-radicular. De grande relevância também é o aumento de temperatura ocorrido na parte externa da raiz. A temperatura de 47º C é considerada crítica podendo causar sérias injúrias ao periodonto de suporte.

ms

Lipski em 2005 realizou um estudo avaliando a temperatura atingida na superfície externa da raiz durante a obturação dos canais radiculares obturados pelo sistema Microseal e técnica híbrida de Tagger concluindo que o aumento de temperatura provocado pela técnica híbrida de Tagger foi quatro vezes maior do que a produzida pelo sistema Microseal. O baixo aumento da temperatura no sistema Microseal pode ser explicado pela metade das rotações necessárias do compactador em comparação com a técnica híbrida de Tagger (5.000 rpm versus 10.000 rpm). O sistema Microseal não atingiu a temperatura considerada crítica. 

Componentes:

  • Espaçadores de NiTi:

– taper: 0,02 – 20, 25 ou 30 mm

– taper 0,04 – 25 mm

rotação contínua, 300 rpm 

  • Compactador

– taper 0,02 – 25-60 mm

– taper 0,04 -25 mm

-gera calor plastificando a guta percha por fricção

– pressiona a guta-percha aquecida nas reentrâncias do canal radicular através de força centrifuga

– o ângulo do instrumento varia de 60º na porção coronária a 30º na porção apical, prevenindo a extrusão de guta percha para alem do limite CDC

-gera força lateral e apical

-5000 a 7000 rpm 

  • Cones

– taper 0,02 – 25-60

-taper 0,04 – 25

-guta-percha de baixa fusão msa

  • Cartuchos

– guta-percha de ultra baixa fusão,

-individuais para minimizar o risco de infecção

 

Descrição da Técnica

– seleção do cone principal- deve ficar de 0,5 a 1,0 mm do CRT

– canais amplos- utilizar cones com taper 0,04 e em canais atrésicos taper 0,02

– radiografia para confirmação

– assentar o cone no cimento de escolha

– levar o espaçador de 1 a 2 mm do CRT, então rotacioná-lo e removê-lo abrindo espaço no interior do canal

– aquecer o cartucho de guta percha de ultra baixa fusão no aquecedor por 15 segundos

– introduzir o compactador no cartucho previamente aquecido, cobrindo 5 a 6 mm deste com a guta-percha.

– introduzir o condensador no interior do canal no espaço aberto previamente

– ao atingir o CRT aciona-lo mantendo-o em posição por 1-2 segundos

– remoção com suave pressão de encontro às paredes

 Variações da Técnica (preconizadas por Maggiore, 2004)

  • Utilização de 1,2 cones secundários: casos de forames ovais, onde o cone mestre não se adapta ao batente apical
  • Compactação vertical para aumentar a adaptação da guta-percha às paredes do canal radicular, formando uma massa obturadora homogênea

Riscos:

  • dentes imaturos com ápices abertos
  • dentes em retratamento com forames arrombados- não há controle apical, possibilidade de extrusão.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: