27/05/2009

Instrumentação Oscilatória

Posted in Instrumentação às 16:32 por endodontiafob

Em 1892, houve a primeira descrição do uso de dispositivos rotatórios por Oltramare. Com o tempo desenvolveu-se uma variedade de sistemas com princípios semelhantes. Em 1928, foi desenvolvido o contra-ângulo “Cursor filling” pela empresa austríaca W&H. Esta peça de mão combinava um movimento rotacional e vertical da lima.

Com o tempo estes contra-ângulos foram tornando-se populares na Europa. Os contra-ângulos Racer handpiece e Giromatic foram os responsáveis por essa popularização dos instrumentos mecanizados. O Racer handpiece apresentava apenas movimento vertical, enquanto o Giromatic apenas movimento de rotação de 90°. Após a popularização dos contra-ângulos, outros surgiram como o Dynatrack, o Endo-angle e o Endolift, todos preconizando movimento vertical e rotacional de 90° (HÜLSMANN et al., 2005).

Com o decorrer do tempo, e com a evolução da endodontia e do melhor conhecimento e compreensão da anatomia interna dos canais, ocorreram mudanças significativas no desenho e na metalurgia dos instrumentos, bem como manobras foram introduzidas para facilitar a dinâmica da instrumentação.

O retorno dos sistemas oscilatórios permitiu com que diversos sistemas fossem desenvolvidos dentre eles os sistemas M4, Tep 10R, Tep-Super 16 e Endo-Eze.

M4 – O contra-ângulo M4 da Kerr possui ângulo de oscilação de 30°, cabeça do contra-ângulo com sistema de pinça acionada por “push-botton” permitindo a adaptação de diferentes tipos de limas. Este contra-ângulo é acoplado ao micromotor convencional.

Tep 10R – Contra-ângulo da empresa NSK, apresenta ângulo de oscilação de 45° e também apresenta o sistema de pinça para acoplar limas. Além disso, é muito versátil, pois apresenta a possibilidade de alterações na angulação da sua cabeça, favorecendo o preparo em regiões posteriores e para pacientes com abertura bucal reduzida.

Tep-super 16 – Semelhante ao Tep 10R, porém apresenta menor velocidade e maior torque. Possui a opção adaptar a cabeça TL-Y que permite acoplar limas de sistemas rotatórios para realizarem movimento oscilatório.

Endo-Eze – Apresenta ângulo de oscilação de 30°, cabeça com sistema “push-botton” que permite três diferentes ajustes de comprimento para o instrumento acoplado. Possui instrumentos especiais que são as limas “Shaping files” para preparo dos terços cervical e médio, e as limas “Apical files” que são utilizadas para o preparo da região apical.

Técnica de Instrumentação

A técnica de instrumentação empregada com os sistemas oscilatórios é a técnica coroa-ápice (crown down), pois diminui os entraves do instrumento nas paredes do canal, diminuindo os riscos de fratura e desvios (RISSO, 2002). A técnica consiste em um escalonamento progressivo em direção ao ápice.

Fig. 01 - Primeiro instrumento mecanizado para preparo de canais radiculares. (Hülsmann et al., 2005)

Fig. 01 - Primeiro instrumento mecanizado para preparo de canais radiculares. (Hülsmann et al., 2005)

 

 

 

 

 

 

 

 

Fig. 02 - Contra-Ângulo TEP 10R (NSK)

Fig. 02 - Contra-Ângulo TEP 10R (NSK)

Fig. 03 - Preparo realizado com instrumento manual adaptado em contra-ângulo Tep 10R (NSK) de rotação alternada

Fig. 03 - Preparo realizado com instrumento manual adaptado em contra-ângulo Tep 10R (NSK) de rotação alternada

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: